Super Rugby Pacific: Por que é tão difícil lotar estádios na Nova Zelândia?

Richard Knowler é jornalista esportivo da Stuff

OPINIÃO: Onde estará a maioria dos fãs do Super Rugby Pacific neste fim de semana?

Provavelmente em casa ou no bar, assistindo ao jogo em uma tela enquanto eles engancham um saco de nariz e discutem assuntos mundiais. O rugby, muito possivelmente, também ocupará uma parte dessas conversas pelos motivos certos e errados.

O bate-papo, talvez, também se concentre em por que eles não se incomodaram em passear até o estádio local.

Highlanders

Highlanders No 10 Mitch Hunt diz que os times australianos estão jogando com algo a provar no Super Rugby Pacific.

Este tópico não é recente. No entanto, parece que ninguém está perto de resolver o mistério de como conseguir mais torcedores para assistir aos jogos.

Aqueles ousados ​​o suficiente para lançar sua própria pesquisa informal sobre o assunto podem descobrir que os funcionários são os primeiros a assumir a culpa. No entanto, as pessoas com assobios não são as que formaram um complicado livro de leis que poucas pessoas, e vários jogadores, entendem completamente.

CONSULTE MAIS INFORMAÇÃO:
* Prévia do Super Rugby Pacific: Jordie Barrett e Ardie Savea são a chave para as esperanças dos furacões
* Super Ruby: Hurricanes adicionam Waikato e o capitão dos Chiefs, Bailyn Sullivan, às suas fileiras para 2022
* Super Rugby: Dane Coles apela aos Hurricanes para colmatar lacunas defensivas e dá as boas-vindas a Owen Franks

É de se admirar, então, que vários jogos tenham sido tão bonitos quanto uma garrafa quebrada na sarjeta?

Várias outras castanhas antigas provavelmente serão lançadas durante uma investigação sobre o baixo público: paralisações por lesões, redefinições de scrum, TMOs pressionando repetidamente o botão de retrocesso, preços altos de alimentos e bebidas e música alta são alvos populares.

Às vezes, quando os resmungos são mais altos, parece que ninguém está feliz.

As franquias do Super Rugby não são idiotas. Eles ouvem tudo isso e muito mais. Assim como o NZ Rugby.

A falta de vendas de ingressos não afeta apenas o balanço. É também uma aparência terrível, quando tantos assentos estão vazios.

No entanto, o produto não está atraindo multidões.

Os jogadores têm um papel a desempenhar nisso? Sim.

Ainda, com seus salários garantidos, graças ao coletivo dos jogadores; Não há chance de levar uma pancada no bolso por produzir entretenimento de má qualidade.

Todos nós sabemos disso: o consumidor tem todo o direito de decidir como vai gastar seu dinheiro discricionário. Quantos serão trocados por uma vaga no rugby neste fim de semana?

Os Waratahs comemoram sua vitória por 24 a 21 sobre os Crusaders no Leichhardt Oval, em Sydney, no último final de semana.

Imagens de Jeremy Ng/Getty

Os Waratahs comemoram sua vitória por 24 a 21 sobre os Crusaders no Leichhardt Oval, em Sydney, no último final de semana.

1. Talvez a ajuda venha dos australianos

Jogo limpo para eles. Quando os Waratahs e Brumbies perturbaram os cruzados e os furacões no último fim de semana, eles desafiaram as previsões de que os kiwis entrariam em seus quintais e fariam cócegas em suas barrigas antes de expulsá-los pela porta dos fundos.

Não está convencido de que não foi apenas uma falha? Isso é compreensível. Cabe aos Ockers provar um ponto, novamente.

O confronto Highlanders-Reds, e o jogo Chiefs-Brumbies, se configuram como os jogos mais intrigantes da rodada.

Brodie Retallick dos Chiefs recebe atenção da equipe médica durante a partida contra os Crusaders no FMG Stadium Waikato em 26 de março.

Hannah Peters/Getty Images

Brodie Retallick dos Chiefs recebe atenção da equipe médica durante a partida contra os Crusaders no FMG Stadium Waikato em 26 de março.

2. Mais uma semana até que Brodie Retallick retorne de um polegar quebrado

A aparição mais recente do All Blacks lock coincidiu com a derrota dos Chiefs por 34 a 19 para os Crusaders em 26 de março.

Previsto para retornar no próximo fim de semana, quando os Chiefs enfrentarem os Rebels em Melbourne, o vasto conhecimento de Retallick será recebido pelo técnico Clayton McMillan enquanto eles estão de olho nos play-offs.

Assim como a chegada do capitão Sam Cane, de volta da licença paternidade, em Hamilton na noite de sábado. Seu comportamento calmo, especialmente quando o meia Tate McDermott dos Reds ficava tagarelando no ouvido do árbitro, fez falta em Brisbane no último fim de semana.

O ex-jogador do All Blacks and Crusaders, Owen Franks, foi nomeado para o banco dos furacões.

Hagen Hopkins/Getty Images

O ex-jogador do All Blacks and Crusaders, Owen Franks, foi nomeado para o banco dos furacões.

3 Coles e Franks: a antiga empresa se reúne

Quando Owen Franks deixou a Nova Zelândia para a Inglaterra no final de 2019, a perspectiva de ele se unir a Dane Coles nos Hurricanes parecia tão provável quanto uma coleção de produtores de leite correndo para o salão local para receber uma palestra do Partido Verde.

No entanto, olhe para isso. Os primeiros remadores Franks e Coles, que jogaram juntos pela última vez quando os All Blacks perderam para os Wallabies em Perth em 2019, foram nomeados nas reservas dos Hurricanes para o jogo contra o Fijian Drua no domingo.

Coles, fará sua primeira partida do ano depois de se recuperar de uma lesão no tendão, e Franks finalmente consertou um tendão de Aquiles rompido. Coles adora latir no parque. O ex-Crusader Franks é o oposto.

Entre eles, eles jogaram 188 testes. Ambos são mais do que comerciantes honestos. Eles são tudo o que o jogo precisa. Eles podem até ter vagabundos nos assentos. Bem vindo de volta.

Leave a Comment